Home | News e Eventos | Sobre a Fundação | Links | Fale Conosco | Mapa do Site | English   
  Home Marfan Brasil
Tudo sobre
Marfan
Pesquisas e
Tratamento
Vivendo com
Marfan
Médicos e
Profissionais
Dúvidas
e FAQ
Bate
Papo
Material de
Divulgação
 
 



Home > Pesquisas e Tratamento > Pesquisas

Pesquisas
No momento não há cura para Síndrome de Marfan. Os tratamentos são preventivos e vinculados a melhorar a qualidade de vida dos pacientes frente aos aspectos cardiológicos, ortopédicos e oftálmicos. A Profª Doutora PHD Lygia da Veiga Pereira, uma das maiores pesquisadores mundiais sobre Síndrome de Marfan, trabalha com modelos animais para o estudo in vivo de função gênica.
Profª Dra PHD Lygia Pereira - Cientista Marfan

Desde a descoberta do gene, em 1991, foi possível o desenvolvimento de técnicas moleculares de diagnóstico pré-natal e pré-sintomático da doença. A pesquisadora desenvolve camundongos geneticamente modificados que apresentam a mesma mutação que afeta os seres humanos. Com isso, será possível estudar a evolução da Síndrome de Marfan e os possíveis tratamentos para a doença. O projeto Genoma em cada país tenta desvendar os mistérios do nosso código genético.


Clique nos links abaixo para conhecer mais sobre:
Profª Dra PHD Ana Beatriz Alvarez Perez







A Fundação Marfan Brasil tem como missão fornecer informações para portadores, familiares e profissionais sobre a Síndrome de Marfan e Fibrinoplastias e divulgar os últimos avanços científicos no tratamento dos efeitos da Síndrome nos pacientes, bem como, das terapias e tratamentos que possam levar a cura.

Estamos iniciando uma pesquisa com acompanhamento em crescimento infantil e adolescente. Se você tem pessoas em sua família até a idade de 21 anos você deve entrar em contato com o telefone abaixo para agendar consulta médica com Dra. Angela Maria Spínola e Castro Tel.: (55-11) – 55764151 e agendar com Dr Angela Spinola ou Dra Adriana ou Dra Mirna. Será feito o acompanhamento de controle do crescimento, avaliação desindade óssea e avaliação composição corporal.

O objetivo é acompanhar e determinar o padrão de crescimento e puberdade dos pacientes com Síndrome de Marfan, assim como a densidade mineral óssea.
A pesquisa não está vinculada ao tratamento de contenção do crescimento que é opcional. O objetivo maior é verificar o impacto do crescimento nos aspectos cardiológicos e ortopédicos.